quarta-feira, 14 de junho de 2017

Conta garantida: Solução ou armadilha?

Quanto a empresa contrata um limite de crédito com o banco na modalidade de conta garantida parece ter achado a solução da lavoura, mas cuidado, às vezes o que parece razoável pode sair mais caro do que o esperado. O ponto chave é o IOF adicional.
Como ele é cobrado?
0,38% na liberação do crédito e sobre os acréscimos.
Exemplo: conta garantida no valor de 15.000.000,00. (suponha um contrato novo, começando do zero).
Primeira liberação: 6.000.000,00 (iof adicional = 0,38% x 6.000.000,00)
Liberou/usou mais 2.000.000,00 (iof adicional = 0,38% x 2.000.000,00) -> Saldo devedor = 8.000.000,00
Cobriu/depositou/transferiu/amortizou 3.000.000,00 -> Saldo devedor = 5.000.000,00
Liberou/usou mais 5.000.000,00 (iof adicional = 0,38% x 5.000.000,00) -> Saldo devedor 10.000.000,00
Ou seja, quando você amortiza você deixa de pagar os juros de aproximadamente 0,055501% ao dia sobre o valor que você amortizou, todavia quando você usa novamente, aumentando o seu saldo devedor, paga IOF adicional de 0,38%. A taxa do IOF adicional é 10 (dez) vezes mais cara que a taxa de juros de 1 (um) dia.
Esse negócio de ficar entrando e saindo da conta garantida é a maior furada.

Se você sabe que vai precisar usar o limite novamente daqui a alguns dias, melhor não amortizar. Ficar com o dinheiro parado na conta corrente normal, muitas vezes sai mais barato. 

Para fazer uma simulação ou conferir os valores cobrados pelo banco disponibilizamos planilhas de cálculo em nossa loja virtual Planilhas to go. Faça-nos uma visita!

terça-feira, 28 de junho de 2016

Alíquotas do IOF sobre operações de crédito

As alíquotas do IOF sobre operações de crédito que vigoram desde 20 de janeiro de 2015 são:
- Pessoa física, 0,0082% ao dia para prazo de até 360 dias. Ou 3% ao ano (365 dias);
- Pessoa jurídica, 0,0041% ao dia para prazo de até 360 dias. Ou 1,5% ao ano (365 dias).
Essas alíquotas são aplicadas sobre as operações de empréstimos e financiamentos tais como cheque especial, conta garantida, capital de giro, crédito pessoal etc.
                                  
                                     Fonte:  decreto nº 6.306, de 14 de dezembro de 2007; decreto nº 8.392, de 20 de janeiro de 2015.

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Boas Festas!!!

A todos aqueles que visitaram o blog Depto Financeiro em 2015 desejamos um feliz natal e um próspero ano novo e esperamos revê-los em 2016 com muita paz e muita saúde.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Planilhas financeiras

Procurando planilhas financeiras? Cheque especial, Empréstimos, financiamentos, aplicações financeiras, CDB-DI, LCI-Letras de crédito imobiliário e muito mais. Acesse: Planilhastogo

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Boas Fetas

A todos aqueles que visitaram o blog Depto Financeiro em 2013 desejamos um feliz natal e um próspero ano novo e esperamos revê-los em 2014 com muita paz e muita saúde.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

IOF sobre empréstimos externos muda pela terceira vez em 2012.

De acordo com o decreto publicado no Diário Oficial da União nesta quinta-feira, 14 de junho de 2012, O governo reduziu para 2 anos o prazo para incidência  da alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) de 6% cobradas sobre os empréstimos externos. A mudança vale a partir da data da publicação. Toda operação com menos de 2 anos será tributada em 6%. A medida visa reduzir a valorização excessiva do dólares ocorrida nas últimas semanas, bem como minimizar impactos indesejados na inflação.
Nestes casos quando a operação de empréstimo for contratada pelo "prazo médio mínimo superior ao exigido", ou seja, acima de dois anos, e for liquidada antecipadamente, total ou parcialmente, o investidor ficará sujeito ao pagamento de 6% de IOF, acrescido de juros e multa.
Esta é a terceira alteração de prazo ocorrido só em 2012.
Decretos sobre IOF.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

IGP-M dispara em maio 2012

O IGP-M Índice Geral de Preços – Mercado variou 1,02% em maio, taxa superior à registrada em abril, de 0,85%. Em maio de 2011, a variação foi de 0,43%. A variação acumulada em 2012, até maio, é de 2,51%. No acumulado dos últimos 12 meses o IGP-M registra alta de 4,26%.